Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Treino para Santiago

por BttAlfenense, em 30.04.11

 

Dia 30 de Abril, foi a data escolhida para fazer uma maratona de treino para o passeio que vamos fazer a Santiago, juntei alguns trajectos antigos, recortei e colei alguns pedaços e acabei por obter um engraçado trajecto com aproximadamente 87 km para este treino.

Este trajecto conduzia-nos de Alfena até bem próximo da Maia, seguia daí até a zona de Vilar do Pinheiro, Vila do Conde com passagem nos conhecidos trilhos do passeio da Retorta, Zona de Famalicão e retornava por trilhos entre Trofa e Santo Tirso que nos conduziam até Covelas e passavam na zona do Aeródromo da Maia antes de nos conduzirem novamente A Alfena.

A minha previsão era sair pelas 9 de Alfena a chegar ao destino pelas 17, mas as coisas não forma bem assim, logo pela manhã coloco a bike na carrinha e quando tudo está pronto para arrancar verifico que um dos pneus está furado, “bolas isto começa bem”, abro novamente a garagem e toca a dar à bomba para conseguir ar suficiente para atingir o posto de combustível e colocar suficiente pressão para a viagem até Alfena. No caminho o telemóvel toca e sou informado pelo Domingos Paiva que vai partir de casa, “nos Carvalhos” e que se vai juntar a nós durante o trajecto, Ok o Sargento tem pedalada para isso.

   Com cerca de 12 minutos de atraso iniciamos o planeado passeio, começando por subir até bem próximo do marco geodésico na zona de S. Miguel, rolando depois na direcção da Maia  e fazendo de seguida os trilhos que conduzem a Vilar do Pinheiro, zona que aproveitamos para curtir ao máximo alterando o percurso inicialmente previsto e adicionando alguns km de trilho.

Seguimos depois por trilhos rurais até bem próximo de Vila do Conde, onde entroncamos com os conhecidos trilhos do passeio da Retorta, e aqui começou a verdadeira aventura, os trilhos seleccionados já não eram seguramente utilizados faz bastante tempo, pois começavam a estar quase tapados pela vegetação, mas tudo Ok o previsto é passar, nós passamos.

Entretanto o telemóvel toca novamente e o nosso amigo Domingos anuncia que acabou de ficar sem o track no GPS e que não consegue colocar activo o trajecto seguinte, constatamos que se encontra cerca de 5km para trás e decidimos recuar ao seu encontro, novo contacto telefónico e afinal o rapaz já está a rolar pois conseguiu tornar visível a 2ª parte do trajecto, mesmo assim seguimos ao seu encontro e pouco depois fica completo o grupo.

   O trajecto seleccionado traz-nos ainda algumas surpresas, desde trilhos cortados pela nova auto-estrada, até trilhos que se transformaram em campos lavrados, mas abençoado GPS que tudo resolves, e quando necessário alguns cortes por estrada resolvem o que poderia parecer um complicado problema em voltar a encontrar o trajecto previsto; pelo caminho também alguns furos, felizmente em câmaras com anti-furo e assim sendo o encher do pneu resolveu rapidamente a situação, o mais complicado acabou por ser um furo na minha roda da frente causado por um vidro que em teoria devia obrigar à troca da câmara, e digo devia pois como tenho uma Fox 36 com eixo de 20” que se recusou a sair tivemos de retirar a câmara e colar o furo sem retirar a roda, mas tudo resolvido sem grande stress.

   Bem próximos de Famalicão a prevista chuva vem fazer-nos companhia, e a partir dessa altura tudo se complica um pouco, pois a parte final do passeio era a de maior grau de dificuldade não só pela inclinação do trajecto, mas também pelo tipo de piso bastante mais técnico, mas tudo bem passeio molhado até dá mais pica, só que fruto dos diversos atrasos e do maior numero de km percorridos, ao chegarmos bem próximo de Covelas optamos por alterar o track inicial e rumar o mais a direito possível para Alfena, pelo que atalhamos pelo campo de golf de molde a rapidamente chegar à estrada Alfena-Santo Tirso e rolar aí os km finais deste passeio, nessa altura o Domingos segue de bike em direcção a casa pois quer fazer mais alguns km.

Chegados a Alfena banho no pavilhão do Alfenense, e toca a atacar no Sagittarius a prevista francesinha que a fome já apertava.

 

Rescaldo do passeio:

Agradável dia de BTT, no qual exploramos novos e desconhecidos trilhos e curtimos o gozo de pedalar em situações adversas.

Alguns dados do passeio

Tempo total de viagem – 9h 35m

Distancia percorrida – 92,63 km

Tempo parado – 2h 27m

Tempo em deslocação – 7h 08m

Veloc. Média em deslocação – 13 km/h

Velocidade máxima – 60,4 km/h

Acumulado de subida – 1525m

Cliquem aqui para ver Fotos

Participaram

Gaspar Moreira

Roberto rocha

Paulo Miranda

Eduardo

Nuno Maia

Rui Meireles

Domingos Paiva

 

Um abraço e até ao próximo passeio

 

Gaspar Moreira

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:05

Nocturno 4ª Feira

por BttAlfenense, em 27.04.11

Olá Pessoal!

 

Esta quarta feira, o Victor e o Nuno (Danone), saíram para a estrada para um passeio nocturno.

Sendo este o primeiro deste ano, pensámos em fazer um percurso light. 

O nosso Ponto de Encontro foi, como já é hábito, o Café Sagitarius de onde saímos por volta das 21H15.

Este nosso percurso fez-nos seguir até Ermesinde, Alto da Maia, Corim, Areosa, Rio Tinto, Valongo e regresso a Alfena.

Num total de 32,5 Km com uma média de 20,05 Km/h.

 

Aqui fica o convite para a próxima quarta feira.

 

Boas Pedaladas

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:45

Btt na Serra da Cabreira - Cabeçeiras de Basto

por BttAlfenense, em 06.04.11

"...Curti Milhares..."

Serra da Cabreira 


Serra do distrito de Braga, com a altitude máxima de 1256 metros.Com orientação complexa, forma uma espécie de semicírculo com a convexidade voltada para norte. Encontram-se aqui alguns vestígios de glaciações quaternárias ainda pouco estudadas.É nesta serra que se situam as cabeceiras do rio Ave, e onde vamos pedalar neste dia.

 

 

“Quedas”

Mais um dia de convívio BTT, desta vez a convite do “Quedas” visitamos um dos parques eólicos da Serra da Cabreira. Se a minha contagem não foi errada éramos 25 os participantes, que pouco depois das 9 se preparavam para atacar a 1ª fase do passeio, os 20,81 km que nos separavam do ponto mais alto o trajecto escolhido e que representavam por si só cerca de 1000m de acumulado de subida.

Início relativamente rolante com cerca de 3,5 km sem grande inclinação, primeiras fotos e vídeos, e primeiro contacto com o que realmente nos esperava, 1,5 km de forte inclinação com acumulado de 173 m, proporcionalmente à inclinação a paisagem começava a mostrar-se deslumbrante, os trilhos utilizados nesta fase essencialmente em estradão rural estavam suficientemente técnicos para apimentar a subida enquanto pequenos topos dificultavam a progressão e aumentavam a adrenalina.

De salientar também a grande quantidade de furos sofridos nesta fase, furos que aliás começaram logo na partida que acabou por acontecer só cerca das 10h, sendo um dos mais afectados o Rui Meireles homem que deixou recentemente de usar calços “orgânicos”, ( ficamos sem saber se a escolha recaiu sobre metálicos, semi-metálicos ou cerâmicos ), e que se bem me recordo furou três vezes, já bem próximo do topo paragem de reagrupamento, algumas barras consumidas e o grupo parte novamente ao ataque do cume.

Pouco antes da subida final encontro com grupo de três cavalos selvagens e mais algumas fotos de recordação, nesta fase a paisagem anunciava já o deslumbre que encontraríamos no pequeno planalto situado no topo e o verde das arvores transformava-se num continuo tapete onde ao longe se avistavam mais alguns animais que livremente desfrutavam o seu estado selvagem.

Finalmente começou a descida, depois do planalto já meu conhecido (já conhecia de BTT em 17/10/2009), e atingidos 23 km de percurso, o gozo de descer começa e a adrenalina aumenta, primeiro com passagem em trilhos de pedra desgastada pela intempérie da serra e depois em fabuloso single-track técnico que nos deixou pena não ser mais extenso.

Acabado o single-track eis-nos chegados aos Moinhos de Rei, onde paramos para mais algumas fotos e vídeo, novamente em movimento prosseguimos até atingir a Praia Fluvial de Abadim e um pouco depois atingirmos o Aeródromo com o mesmo nome, a partir daí percorremos alguns caminhos rurais e vielas que nos conduziram ao Rio Peio transposto utilizando uma estreita ponte pedonal (mais fotos e vídeo), e eis-nos chegados ao fim deste trajecto que vivamente recomendo a todos os amantes da modalidade.

Banho tomado nos Bombeiros e rumamos ao restaurante “Churrasqueira do Paço”, que a hora ia avançada e a fome apertava, lá chegados, boa refeição, acompanhada de bom convívio e boa disposição, que culminaram com inflamado discurso final feito pelo nosso amigo “Quedas”, e documentado em vídeo.

 

 

FOTOS DO PASSEIO

 

Alguns dados do passeio

Percurso total – 37,8 km – (40,3 km com as voltinhas)

Acumulado total 1.188m

3.37h em deslocação – 10,6km/h

1.23h parado – média final 7,8 km/h

V/máx. – 52,1 Km/h

Cota mínima – 268,7m

Cota Máxima – 1.074,6m

 

Temos de fazer estes convívios mais vezes,

 

Um abraço a todos,

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:54

Treino XC Domingueiro

por BttAlfenense, em 04.04.11

Este Domingo os nossos Atletas, Victor Moreira e Nuno (Danone), foram fazer um treino primaveril.

Com o início do treino em Alfena por volta das 8h45 da manhã, aida deu para tomar um cafézinho com o Paulo, sim, porque apesar de estar empenado, não quis deixar de nos vir apoiar com a sua esposa :-)

 

Eis os resultados:

 

Saída: Alfena

Destino: Gaia ( Sr. da Pedra)                    

 

Velocidade média 24Km/h

Distância Total 65 Km

Velocidade Máxima 55 Km/h

 

Pernas partidas: 0

Empenos: 0

Subidas: Aquelas em que o Danone nos mete, (uhhmmm, vamos por ali que é melhor).

 

Foi uma manhã bem passada, com um tempo espetacular para a prática deste nosso vício. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:50


bttalfenense

Mais sobre mim


calendário






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D